A estória que não passou em branco.

Manuel Pais como todo bom comerciante português vislumbrou uma ideia: abrir em pleno Leblon uma lojinha onde poderíamos encontrar de tudo um pouco. Com a idéia de suprir a demanda da vizinhança, nasce na década de 50 o famoso BAZAR LEBLON, onde poderíamos achar não só artigos de papelaria, mas também barraca de sol, cadeiras de praia, material de limpeza!!!! Tudo misturado num ambiente sem o menor atrativo a clientela que passava.

O calor no verão era insuportável (nem um só ventilador havia), e reinava uma meia luz pela qual mal podíamos ver os produtos expostos... Havia algo errado na lojinha tímida ... E o comerciante rapidamente resolveu então abrir uma filial logo ali na fronteira da agora famosa vizinha Ipanema na rua que lançava moda que tinha Tom Jobin e Vinícius a banda... Leila Diniz…

O nome foi trazido para Visconde de Pirajá : sim o BAZAR LEBLON funcionava em plena harmonia no bairro ao lado. Sr Manuel viu a olhos nus que a loja de Ipanema prosperava junto com o bairro e resolveu se dedicar a tão somente ela. Com o Bazar Leblon original no bairro homônimo fechado e o sucesso da filial, o fundador diante de tantos lançamentos e do início desbravador da tecnologia resolve pedir ajuda ao neto Rômulo Pais esse também comerciante em Copacabana.

Rômulo atende ao pedido do avô e inicialmente de maneira tímida se divide entre seu negócio em Copacabana e o Bazar Leblon. Implantou tecnologia de ponta facilitando a revisão de estoques funcionamento de balancetes compras de material cupom fiscal. Pesquisou e trouxe o que havia de mais moderno dentro do segmento internacional.

Claro que depois de alguns anos e da ausência de 1 ano do avô que fora passar "uns dias" em Portugal acabou por fechar seu próprio comércio e em abril do ano de 2000 muda não só o nome da papelaria, mas inaugura e contagia uma nova geração de conceito em papelaria. Era uma vez a Papelaria Ipanema Papéis.